17 de maio de 2011

13 vezes sexta-feira 13

O Simbolismo do Número 13!
por Karina

Antes de qualquer coisa, é preciso falar um pouco sobre o significado atribuído ao 13. O número é também conhecido como “a dúzia do diabo”, um número de azar por excelência.

Interessante notar que muitos “tabus” escondem algo sagrado, um significado muito mais profundo do que o que acaba se tornando popular. E é assim com o número 13.

13 simbólica e tradicionalmente significa “morte”. Tanto que se diz, “onde há 13, há morte”. O “fim do mundo” começa no 13° capítulo do Apocalipse Bíblico. Por Jesus ser o décimo terceiro junto a seus discípulos e ter morrido (tradicionalmente numa sexta-feira), boa parte da má fama do 13 que persiste nos dias de hoje pode ser considerada bíblica. Mas de fato, o 13 só se torna um problema onde a morte é encarada como um problema, onde temos a ideia da morte como algo a ser afastado e/ou reprimido. Então é mais do que natural o fato de que a maioria das pessoas tenham uma ideia negativa associada a ele.

A Última Ceia, de Leonardo da Vinci: a face de Jesus é o "ponto de fuga" da pintura, o que enfatiza Jesus como ponto focal (o centro) na obra.

Utilizando uma história que nos é familiar, eram 13 pessoas na Última Ceia. Simbolicamente, o 13 seria o centro, o ponto mais importante do círculo, já que ele é que une a todos. Sendo o ponto unificador, é o local simbolicamente ocupado por Cristo, por exemplo. A morte do 13° (Cristo) simboliza, portanto, a força transformadora que por meio do sacrifício de um, possibilita a salvação do todo. Mas a interpretação popular da metáfora distorceu o significado original e o número 13 virou um número de Judas, com conotações nefastas.

E isso, como já é de se esperar, é um tema relativamente comum na mitologia. Por exemplo, na mitologia germânica, o trapaceiro – e décimo terceiro – deus Loki, traiu Baldur, o deus da primavera – uma divindade de justiça e sabedoria, disseminador da boa vontade e da paz, que, esperava-se, iria governar o novo mundo, após uma catástrofe mundial – levando-o, por fim à morte.

Mas, você talvez esteja se perguntando, de onde saiu a ideia de que o número 13 representa morte? É disso que trata o próximo item da nossa lista!

12 – O 13 e a Morte

A história aqui é longa, e vou tentar resumi-la o máximo possível (omitindo muitos detalhes e maiores explicações, eu sei), já que o objetivo desse post é apenas provocar a curiosidade!

Tudo começa nas antigas sociedades matriarcais, onde o número 13 era sagrado pois representava os 13 meses do ano lunar. Sociedades que se baseavam em calendários lunares (baseados nas fases da lua) – os mais antigos calendários criados – viam o tempo como um fenômeno cíclico, não linear. A natureza funciona em ciclos – nascimento, crescimento, morte; nas estações: verão, outono, inverno, primavera etc. – e as sociedades que utilizavam esses calendários se baseavam nesses ciclos que observavam ao seu redor para entender a vida, a natureza e a “realidade”. Portanto, para esses povos não existia a mesma ideia de “fim” absoluto ou de “morte” como entendemos hoje.

Assim, voltando ao calendário lunar, no 13° mês o sol “morre”, no solstício de inverno. Nessas sociedades isso não era um problema, já que a morte faz parte de um ciclo, dessa forma, o jovem Sol renasceria no dia seguinte. Mas, diga isso para uma sociedade que entende o tempo de forma linear… 13 = Morte. Quando se concebe o tempo de forma linear, em que se inicia a partir de um ponto e termina em outro, a ideia de “ciclo” ou “renascimento” ou ainda “morte como mudança, recomeço, transformação” é algo inconcebível. Num calendário lunar todos os meses tem 28 dias (uma média dos ciclos lunares) – como o ciclo menstrual feminino -, por isso possuíam uma relação profunda com o feminino. Em Gaélico, por exemplo, as palavras para “menstruação” e “calendário” são praticamente idênticas: miosach e miosachan. Mas, quando a noção de tempo linear se impõe nas culturas patriarcais, que passam a preferir a constância do Sol do que à instabilidade da Lua, “matar o sol” é um problema. Assim, as culturas que adotam o calendário solar, e o princípio masculino, passam a considerar tudo que se refere aos ciclos lunares e seus calendários como relacionados a mau augúrio, maldição, enfim, desgraça e azar. 13 passa a ser um número ligado a coisas ruins.

Mas esse é só início da má fama do número 13. A História nos dá muito mais eventos ruins que ficaram marcados pelo número 13 e que terminaram por colocá-lo de vez no imaginário popular como um número sinistro.

11 – Sexta-Feira, 13 de Outubro de 1307

Muitos acreditam que esse foi o acontecimento que marcou definitivamente a Sexta-Feira 13 como dia de azar. O que aconteceu nesse dia?

Basicamente foi o dia em que Jacques Demolay, 23° Grão Mestre da Ordem dos Templários, traído pela Igreja e pelo Rei, juntamente com outros companheiros seus, foi capturado e levado a masmorra, por ordem do Rei Filipe, “O Belo”. O porquê disso? Bem, a ideia por trás da Ordem dos Templários era “proteger e guardar as estradas entre Jerusalém e Acre”, defender a Terra Santa, cuidar dos peregrinos, e era uma ordem que apenas respondia a autoridade da Igreja Católica Romana. Só que os Templários começaram a ficar ricos demais, misteriosos demais, poderosos demais, e bem, tanto o Rei como o Papa Clemente V se sentiram um bocado ameaçados. Assim, criaram uma série de acusações falsas (já que ambos mal tinham ideia do que se passava entre os templários) contra a Ordem, na base da tortura e fizeram com que alguns de seus membros “confessassem” uma série de crimes e heresias. Durante 7 longos anos Jacques e seus companheiros viveram em condições precárias e sofrendo torturas, enquanto o Rei Filipe ia acompanhando o “processo” das acusações e confiscando todos os bens da ordem. Mesmo após três julgamentos, Jacques Demolay se recusava a denunciar companheiros e revelar locais onde haviam riquezas da Ordem. Como não havia uma confissão dele, forjaram. Assim, em 18 de março de 1314, por desmentir suas confissões forjadas, o Rei Filipe e o Papa Clemente condenaram Jacques e outro cavaleiro, Guy d’Auvergne (que também desmentiu as confissões forjadas), a morrerem queimados.

O mais interessante que um pouco antes de morrer na estaca, Jacques lançou uma maldição contra seus algozes: Rei Filipe, Papa Clemente e o Chefe da guarda e conselheiro real Guilherme de Nogaret (que havia capturado os templários e feito acusações). O que aconteceu? O primeiro a morrer foi o Papa Clemente V, logo em seguida Guilherme de Nogaret e no dia 27 de novembro de 1314 morreu o rei Filipe IV com seus 46 anos de idade.

Quer saber qual foi a maldição? Nekan, adonai !!! Chol-begoal!!! Papa Clemente… Cavaleiro Guilherme de Nogaret… Rei Filipe. Intimo-os a comparecer perante ao tribunal de deus dentro de um ano para receberem o justo castigo. Malditos! Malditos! Todos malditos até a décima terceira geração de vossas raças!!!

10 – Por que Sexta?

Pois é. Não é só o número 13 que tem uma má fama própria. A sexta-feira historicamente também está associada a infortúnio e mau augúrio. É claro que quando os dois aparecem combinados, é considerado um “combo mortal”. Mas o que há de errado com a sexta-feira??? Bem, a sexta-feira é um dia consagrado a Freya, ou, em sua correspondência romana, a Vênus. Ambas são deusas que personificam uma feminilidade prazeirosa, e certamente que um dia como Sexta-Feira 13 era considerado um dia de alegria em tempos antigos. Sexta, um dia consagrado as deusas, e 13, um número da Deusa. A má fama da sexta surgiu com monges cristãos, que decidiram que o dia delas era de má sorte, não somente pelo que elas representavam, mas pelo fato de Jesus ter morrido em uma sexta (esse é um dado que foi colocado em dúvida recentemente por um pesquisador, mas os monges daquela época ainda não sabiam…). Basicamente eles juntaram a fome com a vontade de comer.

Além disso, alguns teólogos dizem que Adão e Eva comeram do fruto proibido numa sexta-feira, e que o Grande Dilúvio também começou numa sexta.

9 – A omissão do 13

A superstição que envolve o número 13 é tanta, que muita gente prefere não ficar em quarto de hotel com esse número ou morar num 13° andar. Em muitos hoteis da China e EUA, por exemplo, o décimo-terceiro andar não existe, do 12, vai direto ao 14. Assim como há hoteis que não tem quartos numerados com 13.

Para se ter uma ideia, em restaurantes mais “supersticiosos” de Paris, se numa mesa houver 13 pessoas, eles têm um 14° convidado contratado, o chamado quatorzieme, para não correr o risco da maldição que diz “onde 13 se sentam a mesa, um morrerá no período de um ano”.

Alguns hospitais também evitam numerar um quarto com o número 13, e há cidades em que ruas pulam da 12 direto para a 14.

Muitos aeroportos não têm o portão 13, como Ronald Reagan National em Washington e o Chicago’s Midway.

Um fato recente. Parece que mesmo uma grande empresa como Microsoft prefere evitar o 13. O Microsoft Office 2007, predecessor do Office 2010, é versão 12. O Office 2010 é versão 14, pulando a 13, que a Microsoft considerou possivelmente de má sorte.

8 – A tentativa (frustrada) de desmistificar a Sexta-Feira

No afã de acabar com a superstição em torno da Sexta-Feira, no século 18 a Marinha Britânica construiu um navio, o H.M.S. Friday (friday = sexta-feira) especialmente para isso. A marinha iniciou a construção do navio numa sexta, selecionou a tripulação numa sexta, lançou o navio numa sexta e até mesmo colocou como capitão um homem chamado James Friday. Então, na viagem de inauguração realizada numa sexta-feira, o navio partiu para nunca mais voltar. Desapareceu para sempre.

Apesar de ser uma lenda – o próprio Museu da Marinha Real afirmou que a história é só boato - isso só prova o quão forte é também a associação da Sexta-feira com tragédias.

7 – A Fobia de Sexta-Feira 13

Para alguns é muito mais do que uma superstição, é uma fobia! O nome para os que sofrem dessa condição é Paraskevidekatriaphobia. Já a Triskaidekaphobia é a fobia relativa somente ao número 13.

Segundo o psicólogo norte-americano Donald Dossey, especialista no tratamento de fobias, possivelmente mais de 21 milhões de americanos padecem desse mal. Praticamente 8% da população norte-americana então ainda se encontra presa a uma superstição secular.

O Instituto Stress Management Center and Phobia em Asheville, Carolina do Norte – EUA, estima que somente nos Estados Unidos, de U$800 a U$900 milhões são perdidos nos negócios a cada Sexta-Feira 13 por que as pessoas não viajam ou faltam ao trabalho.

6 – O Fracasso da Apollo 13

Não dá para falar da má fama do 13 sem falar na fracassada missão Apollo 13!

A missão – a sétima tripulada e a terceira a tentar pousar na lua - foi lançada no dia 11 de Abril de 1970 às 13:13 CST. A soma dos dígitos da data é 13 (como em 1+1+4+7+0 = 13). A explosão no tanque de oxigênio, que danificou o sistema elétrico da espaçonave ocorreu no dia 13 de Abril de 1970 – não era sexta-feira. Apesar dos problemas, os três astronautas a bordo conseguiram retornar com segurança a Terra.

Essa missão é usada como mais um exemplo do “azar inerente” ao 13, pelos fóbicos e supersticiosos.

5 – Seu nome tem 13 letras?

Alguns acreditam que quem possui 13 letras no nome tem a “sorte do diabo”. Alguns exemplos famosos (com os nomes nas línguas de origem): Jack the Ripper (Jack O Estripador), Charles Manson, Jeffrey Dahmer, Theodore Bundy e Albert De Salvo. Todos conhecidos pela maldade e sangue frio.

É claro que iremos encontrar nome de outras pessoas tão ou mais malévolas com números de letras diferentes de 13. Mas isso, obviamente não impede que a superstição continue!

4 – O Thirteen Club (Clube dos 13)

O 13 é um número tão azarado, que em 1881 uma organização nos EUA chamada “The Thirteen Club” tentou melhorar a reputação desse número. Na primeira reunião, os membros (todos os 13, é claro) passaram por baixo de escadas para entrar em uma sala coberta de sal derramado. O clube durou muitos anos e cresceu para mais de 400 membros, incluindo 5 ex-presidentes norte-americanos: Chester Arthur, Grover Cleveland, Benjamin Harrison, William McKinley e Theodore Roosevelt. Apesar dos esforços do grupo, a fobia do 13 continuou a prosperar, sendo popular até hoje.

3- O problema dos Gatos Pretos

Pois, não dá para falar de Sexta-feira 13 sem falar em gato preto. Então, gato preto tem má fama por conta própria, mas numa sexta-feira 13, se um gato preto aparecer pra você ou cruzar seu caminho pode ser trágico. Ou pelo menos é o que algumas pessoas acreditam.

Para se ter uma ideia da dimensão dessa superstição associada, em 1939, uma cidadezinha em Indiana, chamada French Lick – EUA, decretou que todos os gatos usassem sininhos no pescoço numa sexta-feira 13 de Outubro, para que as pessoas pudessem evitá-los. Como a medida aparentemente pareceu funcionar (nada de ruim aconteceu, de qualquer maneira), a cidade continuou com a prática por mais 3 anos…

2 – Algumas crenças em torno do 13

Existem muuuuitas superstições sobre o número 13, como já deve ter dado para perceber! Aqui listo mais algumas, que considerei interessantes (e até engraçadas):

- Dá azar casar em uma Sexta-feira 13 – inclusive, em 1913, um pastor em Middleton, New York, ofereceu casar os casais de graça nesse dia, como uma forma de combater a superstição. Mais uma tentativa frustrada!

- Se você nasceu numa Sexta-feira 13, será azarado por toda a vida. Mas não se preocupe, não será uma vida longa mesmo…

- Treze degraus? Melhor não… na tradição britânica diz-se que a escada para a forca possui 13 degraus, e a sexta-feira é conhecida como “dia do enforcado”.

- Se você cortar o seu cabelo numa sexta-feira 13, alguém da sua família morrerá.

- Se um cortejo fúnebre passar por você em uma sexta-feira 13, você será o próximo a morrer.

- Usar roupa preta numa sexta-feira 13 fará com que você precise usá-la num funeral em breve. E por culpa sua.

1 – De 1 a 3 Sextas-feiras 13

O calendário de 365 dias pode ter de 1 a 3 sextas-feiras 13. Acredita-se que os anos que possuem 3 sextas “negras” sejam anos calamitosos. Felizmente, para os temerosos e fóbicos, um ano com 3 sextas do tipo não acontece com frequência. 2009 foi o primeiro ano deste século a ter 3 sextas 13. Antes disso, 1998 e 1987 foram os anos azarados.

2011 só possui uma sexta-feira 13, hoje. Porém, 2012 nos aguarda com 3…

fonte: inconscientecoletivo.net

Nenhum comentário: