8 de novembro de 2011

Hellblazer

por Yuri Motta

Um dos quadrinhos que eu mais recomendo é Hellblazer, título das histórias do famoso Mago John Constantine, uma das séries mais longas da Vertigo.

Constantine foi abençoado desde sua criação, afinal foi criado por Alan Moore e mais tarde passou por outros excelentes escritores e desenhistas.

Ele apareceu pela primeira vez em Swamp Thing, o Monstro do Pântano, como personagem secundário quando o Alan Moore assumiu e mudou completamente a revista.

Logo ele ganhou uma revista só pra ele com o nome de Hellblazer.

O título Hellblazer era para ser na verdade HellRaiser , mas como já existia um filme de terror com o nome foi decidido usar Hellblazer.

Na ideia original era para ser uma HQ de terror , mas o estilo fica meio como de aventura e suspense.

Em Hellblazer você pode encontrar muitos temas diferentes por edição, são alguns deles são: xamanismo, mitologia, voodoo, radiestesia, I ching, projeção astral, uso de drogas para acessar outras dimensões, pactos, evocações, deuses, egrégoras, arquétipos, anjos, demônios, demônios feitos do inconsciente coletivo, sincronicidade, histórias bíblicas, conspirações governamentais, maçonaria e muito mais.

A história de John e o ocultismo começa antes mesmo dele nascer , pois muitos dos seus ancestrais já eram ligados com magia.

Ele é um homem loiro, fumante, adora uma cerveja e não é tão anti-herói quanto alguns textos da internet dizem, porém na maior parte das vezes acaba por envolver pessoas inocentes em suas tramas, fazendo ele carregar algumas mortes na consciência.

Constantine na maior parte das vezes usa originalidade para resolver seus problemas e, apesar de ter dons muito úteis, ele raramente os usa. Um exemplo dessas habilidades é a Hipnose e em alguns capítulos ficamos sabendo que ele é sensitivo também.

Cada capítulo tem em torno de 26 páginas, isso sempre deixa o leitor com aquela sensação de “Já Acabou?”.

As histórias são meio que narradas por John, uma estratégia que faz o leitor entender melhor alguns fatos, com eles sendo “explicados” , tudo com uma pitada de humor e com excelentes frases e tiradas de John.

Uma coisa que também ajuda Hellblazer ser um grande sucesso é o sistema em que os capítulos são criados, que na maior parte vezes não são relacionadas uns com os outros, isso ajuda um pouco em relação as vendas pois você não deixa de comprar uma edição porque perdeu outras. Uma estratégia muito presente na editora vertigo, mas é claro que tem momentos em que uma edição tem continuação em outra.

Gosto de deixar claro que no universo de Constantine, basta você ter um Grimorium Verum e você pode evocar qualquer entidade e essa vai aparecer para você toda bonitinha, por isso mesmo não podemos esquecer que é um mundo de “fantasia”, apesar disso vemos conceitos ocultistas presentes como a diferença entre Lúcifer e o Diabo.

Entre os diversos escritores e ilustradores de Hellblazer temos, Jamie Delano, Garth Ennis, Neil Gaiman, Grant Morrison, Warren Ellis, e outros mais.

Além disso as capas de Hellblazer são verdadeiras obras de arte.

Dica : Quando for ler Hellblazer, abra o Google e procure as palavras interessantes ou nomes que não conhece você pode aprender muito assim.

Atualmente Hellblazer esta sendo distribuído pela Panini que assumiu boa parte das HQ´s do Brasil, mais já passou por muitas editoras e como foi dito no começo a série é uma das mais longas já passando de 275 edições.

Em 2005 foi lançado o filme com o nome Constantine adaptado dos quadrinhos, foi feito para agradar tanto quem gosta do tema (Magia) como também religiosos conservadores. Tanto agradou que uma cena do final do filme foi usada em uma propaganda da igreja universal, mal sabem que o filme foi baseado em uma HQ com uma temática que eles repudiam (John Constantine é mesmo muito irônico).

Concluindo, não acredite em nada do que está escrito acima, leia Hellblazer e tire suas próprias conclusões!

fonte: deldebbio.com.br

Nenhum comentário: