23 de junho de 2012

A Torre Negra

por Rodrigo Monteiro

A Torre Negra é uma minissérie em sete partes escrita por Stephen King. Foram mais de duas décadas de trabalho até que o trabalho fosse finalizado. Mas pelo jeito valeu a pena. O próprio King considera A Torre Negra sua obra-prima e dá a entender durante a série que esta é a história que ele foi destinado a contar, daí sua demora em concluí-la.

Delírios kinginianos à parte, o fato é que A Torre Negra é uma história bastante instigante. Ao longo de suas mais de 4 mil páginas distribuídas em sete volumes, King cria uma atraente mistura entre elementos do faroeste estadunidense e a mitologia britânica - especialmente focada nas lendas do Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda - e o trabalho de J.R.R. Tolkien. Não há coincidências no fato do protagonista da série - o Pistoleiro Roland Deschain ou Roland de Gilead - ter vindo de uma dimensão paralela à nossa, conhecida como "Mundo Médio" (em oposição à "Terra Média" de Tolkien). Além disso, King também tirou alguma inspiração dos westerns italianos da década de 1960, especialmente aqueles dirigidos por Sérgio Leone. Segundo o escritor, quando pensava na concepção de Roland, a imagem que tinha em sua cabeça era do ator Clint Eastwood na trilogia de filmes dirigidos pelo cineasta italiano. Finalmente, não podemos esquecer de mencionar o poema "Childe Roland à Torre Negra Chegou", de Robert Browning, inspiração inicial para todo o trabalho. Esse poema, inclusive, foi incluído como um apêndice no último volume da série. Desnecessário dizer que, sendo um trabalho de Stephen King, o terror e auto-referências estão presentes. E no caso de A Torre Negra elas aparecem de maneira exuberante, para a alegria dos fãs de longa data do escritor, que se deliciam justamente tentando descobrir cada uma delas.

A trama (uma visão geral)

Basicamente, A Torre Negra conta a história da busca de Roland pela tal torre do título. O local é muitas vezes descrito como uma estrutura real e também uma metáfora. Um dos objetivos da missão pessoal de Roland é descobrir qual a verdade sobre ela. Na história, ele é muitas vezes chamado simplesmente de "O pistoleiro", já que é o último membro vivo de uma dinastia de cavaleiros conhecida como "Os pistoleiros". Pense nos Cavaleiros da Távola Redonda carregando dois grandes revólveres ao invés de espadas e escudos e você terá uma ideia do que estou falando. O mundo no qual ele vive é bastante diferente do nosso, apesar de alguns elementos comuns. Política e economicamente organizado ao redor de uma estrutura feudal, ele possui algumas características, especialmente culturais e tecnológicas, relacionadas ao velho oeste estadunidense, ao mesmo tempo em que apresenta elementos místicos e tecnológicos advindos de uma sociedade muito avançada, ainda que antiga e extinta.

A Torre à qual Roland busca é um edifício lendário que é dito ser o nexo de todas as realidades ou, pelo menos, estar localizado nele. Trata-se de um lugar físico que se localiza no centro dos doze feixes que sustentam a realidade. Cada um desses feixes é agrupado em pares e em cada uma das pontas há a representação de um animal. Assim, os principais feixes são divididos da seguinte maneira: Feixe do Urso-Tartaruga; Cavalo-Cão; Rato-Peixe; Elefante-Lobo e Leão-Águia. A maioria deles, pelo menos quatro, estão irremediavelmente perdidos quando Roland começa sua busca. Os dois que ele consegue salvar, no entanto, são o suficiente para impedir que a realidade colapse sobre si própria.

Ao longo de toda a série é dito que o mundo de Roland "seguiu adiante" e ele mesmo parece estar se desfazendo. No início, tudo relacionado à Roland é cercado por mistério. Nem mesmo podemos ter certeza da cor da camisa que ele usa. Mas a cada o virar de página os mistérios relacionados ao pistoleiro vão sendo revelados.

A obsessão de Roland pela Torre começou quando ele tinha 14 anos e viu dentro de um dos vidros do mago que esse era seu destino. Caberia à Roland de Gilead chegar à Torre e impedir que o Rei Rubro a destruísse, levando a realidade consigo. Ao longo de sua busca, Roland atravessa portais mágicos que o permitem transitar por mundos e realidades paralelas recrutando - na maioria das vezes de maneira forçada - pessoas que podem ajudá-lo em sua busca. Todos eles terão um destino trágico antes da busca de Roland ser concluída. O pistoleiro sabe disso e uma parte ínfima de si preocupa-se com isso. O resto, no entanto, tem apenas a Torre como objetivo.

Para dar um senso mais "real" ao Mundo Médio, King seguiu o exemplo de Tolkien e criou uma linguagem particular para seus personagens, especialmente aqueles advindos do mundo de Roland. Essa linguagem se resume a poucas expressões, como "Sai" (Senhor/senhora), Dan-Tete (Pequeno rei), e Can-Toi (homens/mulheres baixos), além do termo "Ka" e suas variáveis, como "Ka-tet", que significa "destino". Esse termo, no entanto, se origina da mitologia egípcia.

Outros personagens (contém Spoilers sobre os livros)

Roland de Gilead é o protagonista de A Torre Negra. Ao longo da série, no entanto, diversos outros personagens se juntam à sua busca, formando o tal do "Ka-tet", ou seja, um grupo unido pelo destino com o mesmo objetivo. Os principais deles são:

Jake Chambers

Jake é um nova-iorquino nascido em 1977. Quando tinha 11 anos, ele foi assassinado por Walter das Sombras, naquela época conhecido como Jack Mort, e acaba indo parar no mundo de Roland, que primeiro o salva e depois o deixa morrer quando precisa escolher entre salvar Jake ou alcançar o Homem de Preto. Isso acontece no primeiro livro, O Pistoleiro.

Jake reapareceria mais tarde como o resultado de um paradoxo. No segundo livro, A Escolha dos Três, Roland impede que Jack mate Jake como ocorreu em O Pistoleiro. Isso cria uma segunda linha de tempo, afinal, mesmo que Jake não vá parar no Mundo Médio, já que não morreu, ele se lembra de sua morte tanto em NY quanto no mundo de Roland. Da mesma forma, Roland também tem essas lembranças e elas ameaçam deixar ambos insanos. Em As Terras Devastadas, terceiro livro da série, Roland e seu Ka-tet descobrem uma maneira de trazer Jake para o Mundo Médio, fazendo com que as lembranças dele e de Roland se fundam e ambos recuperem sua sanidade. Isso faz com que o pistoleiro e o pré-adolescente criem um forte laço, ao ponto de Roland passar a considerar Jake seu filho.

Jake acaba morrendo novamente - e definitivamente - no sétimo livro da série, A Torre Negra, quando salva Stephen King (sim, ele tornou-se um personagem de sua própria série) de ser atropelado por uma van. Uma versão alternativa de Jake é encontrada por Susannah Dean mais tarde, em um outro mundo paralelo.

Eddie Dean

Eddie é o segundo - e mais irrascível - membro do Ka-tet de Roland e se junta ao pistoleiro no segundo livro da série, A Escolha dos Três. Eddie é proveniente da mesma Nova York de Jake, mas de uma época diferente. Seus caminhos se cruzam quando Eddie servia de mula para traficantes de cocaína. Viciado em heroína, ele é forçado pelo pistoleiro a segui-lo ao Mundo Médio e sofre todas aquelas crises de abstinência pelas quais passam drogados em reabilitação. A princípio odiando o pistoleiro por uma série de motivos - especialmente pelo fato de Roland impedi-lo de voltar ao seu mundo para mais uma dose - Eddie acaba se tornando seu braço direito. Eventualmente ele acaba apaixonando-se e se casando como Susannah. É aí que ela adota o sobrenome dele, Dean.

Eddie também acaba morto no último livro da série, assassinado com um tiro na cabeça. Esse é o evento que motiva Susannah a buscar um mundo paralelo nos últimos momentos da série. Lá, além de Jake, ela encontra uma versão muito similar ao "seu" Eddie. Nesse mundo, no entanto, Eddie e Jake são irmãos e seu sobrenome é Toren (uma variação de "Tower", "Torre" em inglês).

Susannah Dean (ou Odetta Holmes ou Detta Walter)

Também vinda de Nova York, mas da década de 1960, Susannah desenvolve uma variação de esquizofrênia (que lhe dá dupla personalidade), conseqüência de duas catástrofes em sua vida: uma concusão na cabeça causada por uma pedra atirada contra ela quando criança e um evento bizarro no qual perdeu as pernas dos joelhos pra baixo.

Inicialmente sua personalidade dominante é Odetta Susannah Holmes, uma mulher educada e de bons modos, herdeira de uma fortuna (seu pai desenvolvera um método dentário revolucionário) e defensora dos direitos civis. De tempos em tempos, no entanto, quem assume o controle é Detta Susannah Walker - uma mulher psicótica, astuta, violenta e incontrolável. Eventualmente Roland faz com que as duas se mesclem em uma única personalidade, da qual resulta Susannah Dean, que consegue acessar e controlar de maneira razoável as melhores qualidades de Odetta e Detta e usá-las quando necessário.

Durante o segundo livro da série, Susannah seduz um demônio como uma distração para que Roland possa salvar Jake - fato que será explicado mais detalhadamente adiante - e acaba engravidando da criatura. Ao mesmo tempo, sua psique é invadida por um súcubo chamadoMia, que divide a experiência da gravidez com Susannah. As duas acabam se mesclando e sendo transportadas para a Nova York de 1999, onde dão à luz um demônio chamado Mordred, cujo destino era assassinar seu verdadeiro pai, Roland.

Susannah é a única membro do Ka-tet de Roland a sobreviver aos eventos do último livro da série e lhe é dada uma chance de reencontrar os demais membros mortos em um mundo paralelo.

Oi

Oi é o membro mais simpático do Ka-tet de Roland. Ele é um "Zé-Trapalhão" mistura de cachorro com quaxinim - e outros animais - que é encontrado por Jake durante os eventos deAs Terras Devastadas. Quando é encontrado por Jake, Oi estava ferido e os dois logo desenvolvem um grande laço afetivo. Roland explica que antigamente os zé-trapalhões eram comuns no Mundo Médio e muitos deles eram capazes de falar e mesmo resolver problemas matemáticos básicos. Oi, no entanto, consegue falar muito pouco, geralmente repetindo as últimas palavras que lhe são ditas. Seu entendimento do que se passa ao redor, no entanto, é quase humano.

Ao longo da série, Oi desenvolve sentimentos humanos, especialmente um grande senso de lealdade para com Jake e Roland. Por mais de uma vez, Oi lutou e salvou a vida de Jake. Assim como os demais membros do Ka-tet, no entanto, Oi encontra seu destino final no último livro, quando sacrifica sua vida ao salvar Roland de um ataque de Mordred. Assim como Jake e Eddie, no entanto, uma versão alternativa de Oi, no caso um cão bastante inteligente, acaba se juntando à eles no mundo paralelo que acaba sendo o destino final de Susannah.

Cuthbert Allgood, Alain Johns e Jamie Curry

Cuthbert, Alain e Jamie são o Ka-tet original de Roland, crianças criadas junto com ele e todas destinadas a serem futuros pistoleiros. Todos aparecem no primeiro livro da série, mas - com exceção de Jamie - têm um papel mais relevante apenas no quarto livro, Mago e Vidro. É, aliás, nessa época da vida de Roland em que a minissérie da Marvel é baseada.

Os principais vilões ao longo da série:

Randall Flagg

O Homem de Preto, também conhecido como Walter O'Dim, Marten Broadcloak, Richard Faninn, Rudin Filaro, Legião e Walter Padick, Filho de Sam. Randall aparece em diversos livros de King, entre eles Os olhos Do Dragão e A Dança da Morte, sempre como uma espécie de feiticeiro demoníaco. Apesar de ser o principal agente do Rei Rubro, é fato que, secretamente, Randall planeja tomar o controle da Torre.

O Rei Rubro

O principal vilão da série, o Rei Rubro tem por objetivo conquistar a Torre Negra e destruí-la, o que faria com que todo o universo entrasse em colapso. Antigamente, ele governava o Trovão - região no Mundo Médio de onde vêm a maioria dos demônios - de seu castelo lá localizado. Uma onda de loucura que se apossou dele, no entanto, fez com que ele adentrasse e consequentemente ficasse aprisionado em uma sacada do lado de fora da Torre Negra. O Rei acreditava que, ao dominar a Torre, conquistaria a escuridão Todash, que, antes de se tornar um refúgio de demônios e loucura, era onde se localizava o multiverso.

O Rei tem como principais servidores Randall Flagg e seu filho, Mordred. Conhecido por nomes como o Rei Vermelho, O Senhor das Aranhas e o Senhor de Discórdia (o nome de seu castelo), entre outros, o Rei é um dos personagens do livro Insônia, e faz as vezes de um ser superior que tenta matar Patrick Danville ainda criança. Patrick desempenha um papel importante no último livro da série. É graças a ele que Roland consegue entrar na Torre.

Rhea

Rhea de Cöos ou Rhea Dubativo é uma velha bruxa que cruzou os caminhos do Roland quando ele era apenas um adolescente. Neste seu período na cidade rural de Mejis, Roland acabou se apaixonando por Susan Delgado, a quem ele considera seu único e verdadeiro amor. Responsável por cuidar de uma das 13 bolas de vidro do Rei Rubro - a bola de cor rosa - Rhea enloquece aos poucos. A bruxa acaba sendo a responsável pela morte de Susan, queimada numa estaca, e pelo assassinato da mãe de Roland, morta acidentalmente pelo próprio pistoleiro. As motivações de Rhea e seu destino final são obscuros apesar de Roland dar a entender que eventualmente deu um fim à vida da feiticeira.

Mordred Deschain

Uma aberração, Mordred foi concebido por dois pais e duas mães. No primeiro livro da série, Roland copula com um demônio, que estoca seu sêmen; esse mesmo demônio - que pode mudar de sexo - é seduzido por Susannah e transfere esse sêmen, agora misturado ao do Rei Rubro, para ela. O demônio Mia acaba se instalando no subconsciente de Susannah e juntas elas dão à luz Mordred. A criança que se desenvolve de maneira absurdamente rápida, passando de bebê a adolescente em poucas semanas, é meio-deus, meio-humano e tem a capacidade de se transformar em uma aranha gigantesca que, ao se alimentar, absorve a força e conhecimento de suas vítimas.

Mordred foi gerado com o objetivo único de matar Roland e seu Ka-tet, impedindo-os de chegar à Torre Negra. Ele acaba falhando ao ser morto por Oi e Roland pouco antes do Pistoleiro finalmente alcançar a Torre.

Principais locações

Pelo fato de ser uma trama bastante longa que acontece em épocas e locais diferentes, a busca de Roland pela Torre Negra passa por diversos locais e mesmo mundos paralelos diferentes. Os principais deles são os seguintes:

Mundo Completo (All-World):

Esse lugar é o único a conter uma representação física da Torre, na figura de um prédio chamado "Keystone Tower"; todos os demais mundos contém representações metafóricas da Torre, como, por exemplo, uma rosa. Por causa disso, através do "mundo completo" é possível se acessar fisicamente a Torre.

Esse mundo é dividido em três regiões: Mundo interior, mundo exterior e fim do mundo. Ele também contém locações importantes na trama, tais quais os mencionados abaixo:

• Nova Canaã: É o baronato que fica na região mais interior, lar de Roland e dos pistoleiros. É considerada o centro da Luz e da Civilização. Sua capital é Gilead, daí um dos nomes do pistoleiro, Roland de Gilead.

• Baronato de Mejis: Localizada no mundo interior, é onde Roland e seu primeiro Ka-tet realizam sua primeira missão como pistoleiros. É lá que Roland conhece Susan Delgado e Rhea de Cöos. É uma comunidade rural, cuja economia se baseia na pescaria e na criação de cavalos.

• A Colina de Jericho: Na época em que Roland era um adolescente, a principal ameaça ao seu mundo era John Farson, um renegado que havia cedido sua lealdade ao Rei Rubro. A Colina de Jericho foi onde Roland e demais pistoleiros travaram sua última batalha com os homens de Farson. No confronto, Cuthbert Allgood acaba morrendo enquanto sopra a trombeta de Eld. Essa trombeta desempenha um papel importante especialmente no fim do livro. Aqui cabe um parênteses: A trombeta de Eld era o instrumento usado por Arthur Eld, um dos ancestrais de Roland, para convocar seus companheiros à batalha. Mais ou menos a função da trombeta de Gondor em O Senhor dos Anéis.

• Delain: Outro baronato mencionado na Torre Negra. É o centro da ação do livro Os olhos do Dragão. Delain é um país que fora controlado por um mago chamado Flagg até a sua derrota.

• A rota de Blaine: Blaine é um monotrilho sapiente e insano que leva Roland e seu Ka-tet entre as cidades de Lud e uma versão de Topeka, no Kansas. Durante o trajeto, Blaine joga com os companheiros, incitando-os a fazer uma charada que não pudesse responder. Do contrário, mataria todos eles ao cometer suícidio.

• Calla Bryn Sturgis: Cidade localizada nas fronteiras do Mundo-Médio, Calla Bryn Sturgis é onde Roland e seu Ka-tet enfrentam um bando de lobos robóticos que visita a região a cada geração e leva uma criança de cada casal de gêmeos nascidos ali.

• Lud: É uma espécie de versão do Mundo-Médio para Nova York. Uma versão de Nova York devastada por uma guerra e dominada por gangues. Uma cidade antiga, que há 500 anos já não mais existia como exemplo de civilização e, sim, como uma cidade praticamente abandonada. Lud aparece em As Terras Devastadas, mas uma menção a ela já havia sido feita no livro Rose Madder.

Nosso Mundo

Esse "nosso mundo" seria, na verdade, um mundo bastante parecido com o mundo real e funciona como um local fundamental para a sustentabilidade dos universos paralelos descritos na trama. É nesse mundo que a Torre Negra se manifesta inicialmente como uma rosa e, mais tarde, um edifício, a Keystone Tower, é construída ao redor dela, para protegê-la. Esse mundo também é conhecido como um mundo onde o tempo sempre corre em uma única direção, ou seja, as incursões de Roland e seu Ka-tet nesse mundo sempre acontecem cronologicamente. Dessa forma, se a primeira incursão deles nesse mundo aconteceu em, digamos, 1977, as subseqüentes serão sempre após essa data. Nos demais mundos paralelos é possível voltar no tempo.

A cidade de Nova York desempenha um papel importante na trama, haja visto que é lá que se localizam a Keystone Tower, a rosa e é também a cidade de origem de Jake Chambers, Susannah e Eddie Dean, recolhidos de períodos diferentes de versões de NY quase indênticas à ela.

O estado norte-americano do Maine também desempenha um papel fundamental nos momentos finais da trama. É para lá que Roland e seu Ka-tet vão para se encontrar com uma versão ficcional de Stephen King. Para Roland, King é o responsável por tudo o que acontece em suas vidas e ele tem o objetivo de fazer o escritor terminar o que começou, ou seja, escrever a história da Torre Negra até o seu fim.

Como não poderia deixar de ser em uma série de fantasia, há, ainda, lugares não-físicos e místicos, tais quais:

• Castelo Discórdia: Inicialmente uma locação mística, o Castelo Discórdia acaba mostrando-se um lugar real, localizado na fronteira do Trovão, terra negra comandada pelo Rei Rubro. O castelo contém 595 portas místicas que levam a diversas dimensões paralelas.

• Devar-Toi: É uma prisão de segurança mínima localizada no Trovão. Também conhecida como "Algul Siento", é onde o Rei Rubro mantém seu exército de sapadores, poderosos telepatas e psíquicos cuja função é destruir os feixes que mantém a Torre - e, consequentemente, toda a realidade - em pé. Roland e seu Ka-tet eventualmente invadem a prisão, libertando os sapadores e evitando a destruição total dos feixes. É nessa ação que Eddie Dean perde sua vida.

• O Trovão: O local é uma terra desolada e pouco povoada, uma das últimas fronteiras entre o Mundo Médio e a Torre Negra.

Referências

Como dito anteriormente, personagens e localidades nas quais a trama de A Torre Negra se passa podem ser encontrados em diversos dos livros de Stephen King. Aqui fizemos uma lista dos principais, sendo que podem haver muitos mais que deixamos passar.

• Em O Pistoleiro há referências aos livros Saco de Ossos, A Dança da Morte e Os Olhos do Dragão, especialmente na figura do Homem de Preto;

• Em A Escolha dos Três há referências a O Iluminado e novamente a Os Olhos do Dragão;

• Em As Terras Devastadas há referências a Rose Madder (a cidade de Lud aparece primeiramente neste livro), A Dança da Morte (Roland Flagg e a supergripe chamada Capitão Viajante), Celular, A Coisa (It), Insônia e Cemitério Maldito;

• Em Mago e Vidro as referências a Dança da Morte e Os Olhos do Dragão se repetem, e se juntam àquelas encontradas em "O Nevoeiro" (do livro de contos Tripulação de Esqueletos) eLisey's Story;

• Em Os Lobos de Calla são mencionados eventos ou personagens extraídos de A Hora do Vampiro, Casa Negra, O Talismã e, novamente, Saco de Ossos e A Dança da Morte;

• Em Canção de Susannah as referências se acumulam. Além dos supracitados Os Olhos do Dragão, Casa Negra, O Talismã, Insônia, Cemitério Maldito, O Iluminado e A Coisa, há ainda menções à Buick 8, "As Irmãs de Elúria" (do livro Tudo é Eventual), Desespero, Corações em Atlantis e The Regulators;

Corações em Atlantis, A Coisa, Insônia, Cemitério Maldito, Buick 8 e Tudo é Eventual, além de A Zona Morta são todos mencionados - de uma maneira ou outra - no último livro da série, A Torre Negra.

Cronologia de publicação

Inicialmente, O Pistoleiro começou a ser publicado como uma série de contos em 1977. O primeiro livro, no entanto, foi editado apenas em 1982; A Escolha dos Três saiu em 1987; As Terras Devastadas, em 1991; Mago e Vidro é de 1997; Lobos de Calla, de 2003 e Canção de Susannahe A Torre Negra são ambos de 2004. Isso, obviamente, na terra do Tio Sam.

No Brasil a série foi lançada pela editora Objetiva em um espaço de 3 anos, começando no segundo semestre de 2004 e terminando no primeiro semestre de 2007.

Nenhum comentário: