19 de janeiro de 2010

A Anatomia dos Dragões

No documentário DRAGÕES: UMA FANTASIA QUE SE TORNA REALIDADE (Discovery Channel) os produtores trabalharam em colaboração com o consultor científico Dr. Peter Hogarth, o internacionalmente reconhecido artista especializado em dinossauros John Sibbick e os animadores da empresa Framestore para criar a versão mais realista possível dos dragões. Como? Extraindo suas pistas diretamente da natureza. Este especial usa animais reais e o seu comportamento para determinar a história natural dos dragões.

• ASAS PARA VÔO: As asas de um dragão poderiam ser comparadas às dos morcegos, que possuem quatro pontos de sustentação e são capazes de carregar mais peso que as asas de um pássaro, sustentadas em apenas dois lugares.

• A IMPORTÂNCIA DA CAPACIDADE DE FLUTUAÇÃO: Todos os animais carregam bactérias em seus intestinos que ajudam na digestão dos alimentos. Neste processo, as bactérias liberam um produto metabólico secundário: gás. A equipe do programa sugere que as bactérias presentes no sistema digestivo dos dragões poderiam ter sido de um tipo raro, liberando hidrogênio gasoso. O hidrogênio, que é combustível e 14 vezes mais leve que o ar, seria o segredo da capacidade de voar e de soltar fogo dos dragões. O hidrogênio aumentaria o seu poder de flutuação, permitindo que voassem. O gás produzido seria canalizado para duas bolsas de armazenamento, as vesículas de vôo, que, quando totalmente infladas, ajudariam estes animais a levantar vôo.

• LEVE COMO UMA PLUMA: Animais voadores (pássaros, morcegos etc) são dotados de ossos ocos ou alveolares (semelhantes ao favo de mel), que ajudam a reduzir seu peso. Ter ossos ocos, porém, não seria suficiente para fazer um gigante dragão deslocar-se pelo ar. Entretanto, os ossos ocos combinados com a capacidade de flutuação criada pelo hidrogênio armazenado nas vesículas de vôo poderiam reduzir significativamente o peso de um dragão, fazendo com que pudesse levantar vôo.

• RESPIRANDO FOGO: Então, com suas asas e capacidade de flutuação criada pelos ossos ocos e o hidrogênio, nosso dragão poderia voar. Mas como poderia respirar fogo? O mesmo hidrogênio usado para manter os dragões no ar também é um gás combustível e pode produzir fogo, precisando para tanto apenas da presença de um catalisador. Na natureza, o besouro bombardeiro pode produzir uma explosão de líquido fervente usando enzimas e um catalisador orgânico. Os cientistas portanto propõem que os dragões poderiam ter usado platina em pó, um catalisador que podiam conseguir através da ingestão de platina, encontrada nas rochas sedimentárias. Platina poderia ter sido a faísca catalítica que reagiria com o hidrogênio armazenado nas vesículas de vôo dos dragões, produzindo fogo.

• DEFESA: Na natureza, olhos grandes são um sinal e ameaça, e por esta razão muitos animais possuem olhos incorporados ao padrão de cores da sua camuflagem. Se os dragões fossem reais e seus filhotes vulneráveis a predadores como os dinossauros ou até mesmo outros dragões, provavelmente teriam desenvolvido táticas antipredadoras, como marcas imitando olhos.
Fonte: Discovery Channel

Nenhum comentário: