26 de março de 2010

Categorias do Sonhar

Um dos mistérios da vida que mais nos chama atenção, até mesmo pelo fato de nos ser tão presente , é o "sonho". Muitas explicações foram dadas a este fato, o que farei não é trazer nada novo, apenas farei uma síntese de tudo que já se sabe sobre o assunto, para uma explicação lógica, clara e objetiva.
Eu dividiria o sonho em três categorias, ou três formas de sonhar:

1º- O mergulho em nosso sub-consciente:
Este sonho mistura nossos medos, nossas angustias, nossas lembranças do dia-a-dia, tanto coisas que realmente aconteceram com nós, como lembranças de filmes, livros, fatos que vimos ou que ouvimos falar, etc. Esse tipo de sonho, costuma acontecer quando nossa mente esta muito carregada, ou seja quando estamos muito cansados, tanto fisicamente quanto mentalmente. Serve para exteriorizar tudo que ficou acumulado em nossa mente, seja em nosso consciente ou nosso sub-consciente. Existem duas formas deste sonho acontecer, uma é nosso perispírito imóvel em nosso corpo físico, enquanto nosso sub-consciente projeta sons e imagens para nossa mente. A outra é parecida, a única diferença, é que saímos em projeção astral, porém tudo o que presenciamos, é derivado de nossa capacidade de plasmar imagens e sons no plano "Astral" através do pensamento, sendo assim, estamos presenciando um verdadeiro show de imagens holográficas, sons e efeitos especiais originados de nossa própria mente.

2º- O Desdobramento:
Bem, este é o caso mais conhecido entre os espiritualistas, o famoso "desdobramento", ou "viagem astral". O que muitos não sabem, é que o desdobramento (projeção consciente de nosso "corpo astral", ou "perispírito" no plano Astral) é muito mais comum do que se imagina, eu diria até que se faz quase que diariamente, porém 90% do que acontece durante esse fenômeno, não nos é permitido lembrar pelo simples fato de que muita coisa iria nos atrapalhar em nossa vida cotidiana no plano "físico". Assim como o "mergulho em nosso sub-consciente", existe duas formas distintas de desdobramento, a mais conhecida e menos comum é a consciente, cujo o ser sai por vontade própria do físico ou se não ao menos tem consciência do que esta acontecendo, podendo na maioria desses casos ver seu corpo na cama, outras pessoas dormindo na mesma casa, passando pelas paredes de sua casa, etc. A outra maneira de se sair em desdobramento, que inclusive é a mais comum, apesar de menos divulgada, é aquela em que o ser adormece e quando acorda já está no astral, em determinada situação, com determinada tarefa a realizar (esta tarefa pode ser tanto um aprendizado a adquirir, uma função a realizar, uma reunião a participar para decidir seus próximos passos no físico, debater os resultados adquiridos das iniciativas já tomadas, não há uma regra, as possibilidades de situações encara das são praticamente incontáveis, impossíveis de seres todas exemplificadas aqui). Como já dissemos antes, este é o caso mais comum, apesar da maioria das vezes não lembrarmos de nada que ocorreu, porém trazemos as situações vividas e as lições adquiridas gravadas em nosso subconsciente, para instintivamente contribuir em nossas ações em nosso dia-a-dia carnal.

3º- A mistura de ambos os casos:
Sem sombra de duvidas, este é o caso mais comum. Neste caso, saímos de nosso corpo, fazemos coisas (apesar de não haver nenhum objetivo ou tarefa fixada neste caso, é como se saíssemos para dar um voltinha, fora de nosso pesado e cansativo corpo físico), só que ao mesmo tempo que vemos coisas que realmente estão acontecendo no astral, também vemos e misturamos sem perceber, coisas plasmadas por nossa mente, como no primeiro caso, uma mistura de medos, lembranças e angustias, mescladas a fatos que realmente estamos presenciando.

Um exemplo:
Suponhamos que estamos em uma festa, estamos gostando de estar lá, porém por vários fatores temos que nos recolher para nossa casa (ou nossa mulher esta com dor de cabeça, ou temos criança pequena, ou simplesmente temos que levantar cedo no outro dia), enfim o fato é que nos recolhemos contra nossa própria vontade, pois na verdade queríamos continuar na festa pois a situação nos era agradável, bem o que acontece, é que no momento que deitarmos na cama para dormir, no momento que nosso corpo astral deixar o físico, voltaremos rapidinho para a festa, sem hesitar, porém pelo fato de estarmos no astral, vamos presenciar coisas que antes nosso olhos carnais não constatavam, além de misturar nossas lembranças plasmadas em imagens, ou coisas que gostaríamos que houvesse acontecido (como por exemplo conquistarmos a mulher mais atraente da festa). Além do fato, que por presenciarmos coisas do astral, talvez nem chegássemos a dita festa, mudando nosso rumo por outros fatos e seres presenciados no caminho. Enfim, as possibilidades são infinitas, sendo essa a maneira de "sonhar" mais comum.
Eterno Aprendiz!
Matéria enviada por: Guardião
Site: Memórias de um Guardião

Nenhum comentário: