5 de julho de 2010

O Livre Pensar

O pensamento é belo de nascença, livre por natureza e preso apenas a necessidade de voar, mas, no decorrer da vida vai aos poucos sendo aprisionado e perdendo o direito de seus vôos próprios da idade, que quanto mais ócio mais velocidade.
A Liberdade para Pensar tão reconhecida e acreditada ser a última a sofrer as afrontas ao seu livre curso, pode ser bem ao contrário. O pensamento humano é assediado desde bem cedo, nos primeiros dias de vida pelos pais e parentes que pré-definem, para o recém-nascido, algumas escolhas que deveriam ser pessoais, tais como time de futebol, isso só para ilustrar: Filho de peixe... E segue assim com os presentes e a prática da ideologia no sentido restrito, é aquela que tende a formar uma idéia ou disseminar algumas já concebidas.
Pela vida se seguem outras “ofensas” à Liberdade. Sob a égide da educação muitos podem incorrer no erro de manipularem filhos levando-os a refletirem às suas próprias ações e comportamentos, nisso podem os pais influenciar positivamente, que só pela convivência acontecerá naturalmente. Filhos que despertados interiormente para seguir profissão distinta dos pais poderão, alguns casos, sofrer fortes influências e ficarem “balançados” na hora “H”. Bem, em casa menos pior, a intenção dos pais são sempre boas, mesmo assim vale a boa revolta para desenvolver o pensamento livre e a livre execução da intenção, respeitados os valores essenciais.
Outras formas de invasão se seguem nos corredores da vida, a excelentíssima televisão e seus tentadores tentáculos, que absorvem mais tempo da juventude que se deveria permitir; os semanários tendenciosos que se torcidos gotas de sangue minarão; sítios da rede mundial de computadores que disseminam e incrementam um pensamento forçoso e concebidamente moderno para uma mente ávida por algo novo e ainda não vivido; um livro ou uma coleção de ficção que mais parece a realidade que não foi contada e estava escondida; uma trilogia de filmes que subliminarmente penetra aos arquivos cerebrais e deixa vestígios de dúvidas que refletirão para toda a vida.
Assim, os pensamentos são formados e não poderão poderiam mais navegar livremente por lugares. O pensamento pré-fabricado definirá parâmetros para a imaginação e o terreno da fertilidade poderá sofrer com uma fecundação prematura.
Nossa! Então é um perigo... Creio que sim. Tudo é maravilhosamente perigoso. Tens a capacidade de avaliar a sua fome e se com fome de saber provar antes, avaliar o sabor e escolher se queres comer disso ou daquilo? Se sim, ótimo, se não, cuidado, busque a fonte dos pensamentos que te são apresentados, com crítica inteligente, pois, poderá deixar o mais precioso de ti ser aprisionado discretamente.
O homem como produto do meio se desvelará exteriorizando o pensamento que será formado pelas fontes de onde beber, algumas insalubres poderão reter a capacidade, cortar as asas da imaginação pura ou ainda criar recônditas masmorras que serão percebidas como a mais pura realidade, deixando o ser por ali, parceiro da ilusão.
Que o medo do engano seja companheiro de jornada terrena que lembra segurança e a avidez de conhecimento seja o motor propulsor do saber e que na dose certa possa sorver com prazer a formação do pensamento livre e aberto.
Viva a Liberdade para pensar livremente, deixar a mente, amante do desejo de voar perceber o que lhe convém, diante dos sabores escolhidos e dos saberes preferidos. Defenda o maior dos tesouros, a Liberdade de Pensar. E só você tenha poder sobre você mesmo.
Um abraço imaginário, nascido do ventre da mãe Liberdade!
Autor: José Raimundo de Assunção
Fonte: www.mundodosfilosofos.com.br

Nenhum comentário: