29 de dezembro de 2008

Os Livros da Magia I

A chama vermelha bruxelante no muro da caverna
(Pintada de ocre, corante, carvão vegetal)
Fazendo o grande alce se mover,
Fazendo o mastodonte respirar,
Fazendo o caçador correr e matar.

Veja como procuram apaziguar e entender o mundo acima
Isto eles sabem:

Isto eles entendem:
Há escuridão por toda parte, lá fora.

O escuro está em toda parte, e embora o sol se levante,

E embora o fogo brote e seja domesticado,
A escuridão está ali.
A escuridão está à espera.

E as coisas na escuridão,

Que sussurram antes de festejar,
Devem ser aplacadas e persuadidas,
Devem ser amadas e pedem sacrifícios,
Devem ser alvo de súplica e desconfiança.

E assim existe a magia.

Um museu de fantasmas.

A ascensão de impérios, efemérides que lampejam e se vão.

No delta do Nilo as areias sussurram

Sobre deuses com faces animais,
Escaravelhos azul-cobalto,
Mulheres de sombras esguias
Caminhando como grandes leões pelas dunas.
Sangue e mel pingando de suas bocas.

E magia.

Do remoto Chin e do distante Chu, perto das águas do rio amarelo.

Os pragões caminham, discursando em sábios anacletos,
“Reverencie espíritos, mas mantenha-os à distância”.
Os senhores dos nove céus andam em carruagens de orquídeas;
E a mulher Wu sonha com negros bambuzais;
O senhor do leste acaba de soltar seu manto de arco-íris branco;
A mulher sonha que está numa carruagem de escamas
Flanqueada por grifos,
E no céu, pipas de papel tremulam.

Quando ela acorda, ele se foi.

Por um tempo, ela vagueia de lá para cá.

Ela sonha de novo:

De encontro e despedidas ninguém escapa,

Nem de magia.
Nas terras de oliveiras e louros,

Onde os deuses caminham,
Vemos um soldado urinar junto às suas roupas,
E o galopar de um lobo.

“No coração de cada mistério”.

Sussurra o garoto que nasceu duas vezes, surgindo dos mortos,
“Este é o grão de meu milho e o vinho de meu sangue”.
Drama, videiras e pés de bode acompanham-no pelo mundo.

A Buxa-Raínha tem sempre três faces, que esperam na encruzilhada pelo sacrifício;

Esperam no outro mundo;
Nos arvoredos sagrados,
Na lua.
Ela está debaixo de um rei morto, pendendo de um galho de árvore, e mostrará a você todo tipo de palavras mágicas.

Abracadabra.
Abraxas...


Magia.
Neil Gaiman
Os Livros da Magia - O Labirinto Invisível

Nenhum comentário: