24 de dezembro de 2008

Rorschach

Trechos da HQ Watchmen
de Alan Moore e Dave Gibbons

As ruas são extensões das sarjetas cheias de sangue. Quando os canos dos esgotos se encherem de sangue todos os vermes morrerão afogados. A sujeira acumulada de sexo e crime envolverá prostitutas e políticos, que voltarão os olhos para cima, implorando... ‘salve-nos’!...
(...) Agora o mundo inteiro está à beira do precipício olhando para baixo, pro inferno sangrento. Todos aqueles intelectuais e gente de fala mansa...
De repente, mais ninguém tem nada a dizer.

Diário de RORSCHACH, 12 de outubro de 1985.

Ouvi uma piada, certa vez...
Um homem vai ao médico e fala que está deprimido. Diz que a vida parece dura e cruel. Ele se sente só, num mundo ameaçador, onde o futuro é vago e incerto.
O doutor diz: ‘O tratamento é simples. O grande palhaço Pagliacci está na cidade está noite. Vá vê-lo. Levantará seu astral’.
O homem começa a chorar e fala: ‘Mas, doutor... eu sou o Pagliacci’.
Ótima piada. Todo mundo ri. Batem os tambores. Caem as cortinas.
Diário de RORSCHACH, 16 de outubro de 1985.

Esta cidade é um animal feroz e complicado. Para entende-la é necessário estudar suas excrescências, seu cheiro, o movimento de seus parasitas...
Diário de RORSCHACH, 21 de outubro de 1985.

“Por que discutimos? A vida é tão frágil... apenas um vírus bem-sucedido grudado a uma partícula de lama suspenso num infinito nada.
(...) O horror é, afinal, simplesmente o retrato vazio da escuridão. Estamos todos sós. Não existe nada além disso”.
das anotações do Dr. Malcom Long, 28 de outubro de 1985.

Olhei para o céu, através da fumaça espessa e Deus não estava lá. O frio. A escuridão sufocante. Estamos todos sozinhos.
Vamos viver nossas vidas, na falta de algo melhor para fazer. Nascer do esquecimento. Aturar crianças destinadas ao inferno como nós. Não há nada mais.
Existimos ao acaso. Não há padrão, exceto aquele que nós impomos. Este mundo sem direção não é delineado por forças metafísicas indefinidas. Não é Deus quem mata as crianças. Nem é a sorte que as esquarteja ou o destino que as dá de comida aos cães. Somos nós. Só nós.
As ruas estavam tomadas pelo fogo. O vácuo dentro de mim lembrava gelo...
Diário de RORSCHACH, 29 de outubro de 1985.

“Não combata os monstros, temendo tornar-se um deles. Se você olhar dentro do abismo, o abismo olhará dentro de você”.
Friedrich W. Nietzche.

Um comentário:

André disse...

Rorschach. Esse é o cara.